Gestão & Produção
https://gestaoeproducao.com/article/doi/10.1590/1806-9649-2021v28e5768
Gestão & Produção
Artigo Original

Mechanization in sugarcane production and other agricultural activities: an econometric analysis of employment and income

Diogo Ferraz; Fabíola Cristina Ribeiro de Oliveira; Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto; Andreas Pyka

Downloads: 0
Views: 45

Abstract

Abstract:: Several studies argue that agricultural mechanization has reduced employment and wages. However, there is a lack of studies analyzing employment and income over time, especially comparing the agricultural activities. Our major argument is the structural change in the employment - from un-skilled to skilled workers which has to be understood because of the overall decrease in the number of jobs. This study aims to analyze the labor market evolution in sugarcane farming and other agricultural activities, from 1992 to 2015. Using the National Household Sample Survey (PNAD/IBGE), we compared sugarcane and other Brazilian crops using econometrics techniques. We analyzed the Heckman's procedure and models with fixed effects panel data, controlling the unobservable characteristics of workers. Methodologically, our equations show convergence, since the Heckman procedure and pooled regression present similar estimates. We showed that fixed-effect regression captures the same trends of Ordinary Least Square (OLS) technique, using the Heckman method. Our main findings suggest that the wage of sugarcane workers is higher than wages in other crops, even after we control the observable and regional characteristics. This finding is important because the sugarcane sector has faced criticism regarding the low level of employment and income due to the mechanization process. Finally, we pointed out the decrease in unskilled jobs in sugarcane, which demands for policy intervention to improve the human capital in the sugarcane sector.

Keywords

Agriculture, Sugarcane sector, Brazil, Econometrics, Heckman's Model

Referências

Agra Europe. (2010). F.O. Licht’s Sugar & Ethanol Brazil. World Ethanol & Biofuels Reports. Retrieved in 2016, January 13, from http://www.agra-net.com

Alves, F. (2007). Migração de trabalhadores rurais do Maranhão e Piauí para o corte de cana em São Paulo. In J. R. Novaes & F. Alves (Orgs.), Migrantes: trabalho e trabalhadores no complexo agroindustrial canavieiro (os heróis do agronegócio brasileiro) (pp. 21-54). São Carlos: EDUFSCAR.

Arbache, J. S. (2000). Determinação e diferencial de salários no Brasil. In R. Fontes & M. A. Arbex (Org.), Desemprego e mercado de trabalho: ensaios teóricos e empíricos (pp. 125-180). Viçosa: UFV.

Balsadi, O. V. (1996). Condicionantes da renda das pessoas ocupadas na agricultura paulista em 1981 e 1990. Informações Econômicas, 26(8), 41-49.

Balsadi, O. V. (2010). Mercado de trabalho assalariado na cultura da cana-de-açúcar no período 1992-2006. Revista de Economia Agrícola, 57(1), 91-110.

Brasil. Ministério da Economia. Secretaria de Comércio Exterior – SECEX. (2016). Dados estatísticos. Retrieved in 2016, January 8, from http://www.mdic.gov.br/

Cás, F. R., & Ferreira, L. R. (2007). Uma análise do diferencial entre salários rurais no estado de São Paulo: 1980 / 2006. In Anais do Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural (Vol. 45, 16 p.). Brasília: SOBER. 1 CD-ROM.

Certo, S. T., & Semadeni, M. (2006). Strategy research and panel data: evidence and implications. Journal of Management, 32(3), 449-471.

Corrêa, A. M. C. J. (1998). Distribuição de renda e pobreza na agricultura brasileira (260 p.). Piracicaba: UNIMEP.

Corseuil, C. H., & Foguel, M. N. (2002). Uma sugestão de deflatores para rendas obtidas a partir de algumas pesquisas domiciliares do IBGE (Nota Técnica, pp. 57-64). Brasília: IPEA.

Cunha, M. S. (2008). Os empregados da agricultura brasileira: diferenciais e determinantes salariais. Revista de Economia e Sociologia Rural, 46(3), 597-621.

Deaton, A. (1985). Panel data from time series of cross-sections. Journal of econometrics, 30(1-2), 109-126.

Ferraz, D., Oliveira, F. C. R., & Assumpção, M. R. P. (2019). Análise do impacto de mudanças institucionais sobre a produção de açúcar no Brasil entre 1980 a 2015. Exacta, 17(1), 127-145. http://dx.doi.org/10.5585/ExactaEP.v17n1.8108.

Figueira, S. R. F., Perosa, B. B., & Belik, W. (2013). Impacto da desregulamentação e da concorrência. AgroANALYSIS, 33(3), 23-25.

Greene, W. H. (2011). Econometric analysis. London: Pearson Education.

Heckman, J. J. (1979). Sample selection bias as a specification error. Econometrica: Journal of the econometric society, 153-161.

Hoffmann, R., & Kassouf, A. L. (2005). Deriving conditional and unconditional marginal effects in log earnings equations estimated by Heckman’s procedure. Applied Economics, 37(11), 1303-1311.

Horrace, W. C., & Oaxaca, R. L. (2006). Results on the bias and inconsistency of ordinary least squares for the linear probability model. Economics Letters, 90(3), 321-327.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2006). Pesquisa nacional por amostra por domicílios 2006. Rio de Janeiro: IBGE.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2019). Pesquisa nacional por amostra por domicílios 2019. Rio de Janeiro: IBGE.

Moraes, M. (2002). Desregulamentação da agroindústria canavieira: novas formas de atuação do Estado e desafios do setor privado. In M. A. F. D. Moraes & P. F. A. Shikida, Agroindústria canavieira no Brasil: evolução, desenvolvimento e desafios (21-42). São Paulo: Atlas.

Moraes, M. A. F. D. (2007a). Indicadores do mercado de trabalho do sistema agroindustrial da cana-de-açúcar do Brasil no período 1992-2005. Estudos Econômicos (São Paulo), 37(4), 875-902.

Moraes, M. A. F. D. (2007b). O mercado de trabalho da agroindústria canavieira: desafios e oportunidades. Economia Aplicada, 11(4), 605-619.

Moraes, M. A. F. D., & Zilberman, D. (2014). Production of ethanol from sugarcane in brazil: from state intervention to a free market (Vol. 43). USA: Springer Science & Business Media.

Mori, J. S. (2008). Diferenciais de salários nas atividades agrícolas brasileiras: aspectos estruturais e determinantes regionais (Dissertação em mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Neves, M. F., Gray, A. W., & Bourquard, B. A. (2016). Copersucar: a world leader in sugar and ethanol. International Food and Agribusiness Management Review, 19(2), 1-34.

Ney, M. G., & Hoffmann, R. (2003). Desigualdade de renda na agricultura: o efeito da posse da terra. Economía, 4(1), 85-112.

Novaes, M. R., Rudorff, B. F. T., de Almeida, C. M., & Aguiar, D. A. (2016). Análise espacial da redução da queima na colheita da cana-de-açúcar perspectivas futuras ao cumprimento do protocolo agro-ambiental. Engenharia Agrícola, 31(3)

Oliveira, F. C. R. (2009). Ocupação, emprego e remuneração na cana-de-açúcar e em outras atividades agropecuárias no Brasil, de 1992 a 2007 (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

Oliveira, F. C. R., & Hoffmann, R. (2011). Determinantes dos salários dos empregados na lavoura de cana de açúcar e em outras atividades agropecuárias no Brasil. Revista de Economia Agrícola, 58(2), 41-56.

Ramos, P., & Belik, W. (2019). Intervenção estatal e a agroindústria canavieira no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural, 27(2), 197-214.

Sachsida, A., Loureiro, P. R. A., & de Mendon, M. J. C. (2004). Um estudo sobre retorno em escolaridade no Brasil. Revista Brasileira de Economia, 58(2), 249-265.

Sao Paulo. (2002). Lei Estadual n° 11.241, de 19 de setembro de 2002. Dispõe sobre a eliminação gradativa da queima da palha da cana-de-açúcar e dá providências correlatas. São Paulo (SP): Diário Oficial do Estado de São Paulo.

São Paulo. (2007). Protocolo agroambiental do setor sucroalcooleiro paulista, de 04 de junho de 2007. Retrieved in 2018, May 25 from http://dobuscadireta.imprensaoficial.com.br/default.aspx?DataPublicacao=20020920&Caderno=DOE-I&NumeroPagina=2.

Scorzafave, L. G., & Menezes-Filho, N. A. (2001). Participação feminina no mercado de trabalho brasileiro: evolução e determinantes. Pesquisa e Planejamento Econômico, 11(3), 441-478.

Shikida, P. F. A., Azevedo, P. F., & Freitas Vian, C. E. (2010). Uma análise das capacidades tecnológicas da agroindústria canavieira em Minas Gerais. Revista de Economia e Agronegócio, 8(2), 251-278.

União da Indústria de Cana de Açúcar – UNICA. (2016). Unicadata. Retrieved in 2016, January 8, from http://www.unica.com.br/
 

618d1c75a953950e16446ff3 gp Articles

Gest. Prod.

Share this page
Page Sections