Gestão & Produção
https://gestaoeproducao.com/article/doi/10.1590/0104-530x4330-20
Gestão & Produção
Artigo Original

Occupational risks of commercial restaurant workers in the metropolitan region of Recife-PE

Isabella Carla Ehrhardt Paes; Ruth Cavalcanti Guilherme; Alda Veronica de Souza Livera; Rafael Guilherme Ribeiro do Valle; Karina Correia da Silveira

Downloads: 0
Views: 21

Abstract

Abstract: With the modern and fast pace of life, the number of people who eat out has increased; consequently there has been an increase in the demand for work in establishments in the collective meals sector, making work environments susceptible to the emergence of occupational risks which may compromise the physical, mental and social health of workers. In order to mitigate these risks, one must have the knowledge of how they can interfere in the quality of life and work of the employees. Considering these aspects, occupational risks were evaluated in two restaurants in the metropolitan area of Recife-PE. For the evaluation of these were studied the levels of noise, heat and illumination. The chemical risks and physical-ergonomic relationship were also evaluated. It was observed in all the analyzes made, some type of discomfort to the collaborators. The noise analysis showed discomfort, where the waiter was exposed to levels of 83 dB, in the heat exposure the cooking area contributed to the thermal discomfort, where the exposure of 30.7 IBTUG was found and insufficient lighting in the area of washing pots with 86 lux. Risks arising from the incorrect use of PPE's and lack of these were found in the handling of chemicals and in the ergonomic risks was observed inadequacy of the height of worktops. From these results, it is fundamental to promote corrective measures to provide a comfortable work environment with reduced wear for the employee, so that there are no negative consequences for the company, as well as the customer.

Keywords

Occupational risks, Worker’s health, Quality of life

Referências

Abreu E. S., Spinelli M. G., Pinto A. M. S. Gestão de unidades de alimentação e nutrição: um modo de fazer. 2011.

Albuquerque E. N., Seabra L. M. J., Rolim P. M., Gomes L. M. Riscos físicos em uma unidade de alimentação e nutrição: implicações na saúde do trabalhador. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. 2012;4(1):40-7.

NBR 5413: iluminância de interiores. 1992.

Barbosa L.N., Almeida F.Q.A. Relato de experiência sobre a avaliação dos riscos ambientais e mapeamento em uma Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) para a promoção da segurança no trabalho. 2008.

Normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho: NR 15: atividades e operações insalubres. 1978.

Cardoso R. C. V., Souza E. V. A., Santos P. Q. Unidades de alimentação e nutrição nos campus da Universidade Federal da Bahia: um estudo sob a perspectiva do alimento seguro. Revista de Nutrição. 2005;18(5):669-80.

Chamma L., Forastieri N. Análise ergonômica de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais em restaurantes, ao longo de dez anos. 1999.

Conceição M. L., Cavalcanti C. L. Avaliação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) na Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) do Restaurante Universitário da UFPB. Revista Conceitos. 2001;4(5):105-8.

Grandjean E. Manual de ergonomia adaptando o trabalho ao homem. 1998.

Hagen M. E. K., Soltys A. A., Valmórbida J. L., Louzada M. L. C., Zani V. T. O uso de equipamentos de proteção individual pelos funcionários de unidade de alimentação e nutrição de um hospital público do sul do Brasil. Nutrição Brasil. 2012;11(3):167-71.

Saúde e segurança do trabalho: estudo da previdência social indica mudança nas causas de afastamento do trabalho. 2014.

Lida I. Ergonomia: projeto e produção. 2002.

Martins E. N., Herculano I. R., Santos M. C. T. A importância da saúde, ergonomia e segurança em um ambiente de produção de alimentação coletiva ou comercial. Revista Conexão Eletrônica. 2016;13(1):1-9.

Monteiro M. A. M., Ramos C. G. C., Ribeiro C. R., Garcia M. A. V. T. Condições de trabalho em restaurantes comerciais de uma instituição pública de ensino. O Mundo da Saude. 2014;38(3):306-13.

Paula C. M. D. Riscos ocupacionais e condições de trabalho em cozinhas industriais. 2011.

Sant’Ana H. M. P. Planejamento físico funcional de unidades de alimentação e nutrição. 2012.

Sousa J., Silva C., Pacheco E., Moura M., Fabela S. Acidentes de trabalho e doenças profissionais em Portugal: regime jurídico da reparação dos danos. 2005.

Souza R. C., Silveira F. S. A. Análise ergonômica do trabalho (AET) em uma unidade produtora de refeição na cidade de Viçosa, MG. Anais SIMPAC. 2011;3(1):32-8.

Teixeira S. A., Luz N. S., Oliveira E. S., Almondes R. S. M., Moraes C. A., Lucena J. D., Barros H. B. Investigação dos riscos ambientais e ergonômicos em restaurantes privados de um município do Piauí, Brasil. Revista Intertox-EcoAdvisor de Toxicologia Risco Ambiental e Sociedade. 2015;8(1):113-30.

Teixeira S. M. F. G., Oliveira Z. N. C., Rego J. C., Biscontini T. M. B. Administração aplicada as unidades de alimentação e nutrição. 2010.

Vieira M. C. N. M., Japur C. C. Gestão de qualidade na produção de refeições. 2012.

5f7b59eb0e8825ec6867ca72 gp Articles

Gest. Prod.

Share this page
Page Sections